… recomendo a leitura deste post d’A Destreza das Dúvidas e – bolas, bolas, bolas, ao que um tipo chega – este dos abrantes, que bem sabem do que escrevem, pois já fizeram do mesmo que agora criticam aos outros em matéria de nepotismo académico e cunhas de todos os géneros para bolsas e subsídios.

O que se nota é que antes ainda existia um certo cuidado em ir buscar figuras com alguma notoriedade para dirigir estas antecâmaras do acesso às verbas desejadas. Agora parece servir um pouco de tudo, incluindo o João Carlos Espada e o Rui Ramos que eu pensava ser gente de um gabarito só passível de ser encontrada nos Cambridges deste mundo. Mas uma coisa eu sei… o eixo das afinidades deslocou-se decisivamente do isczé para os muicatólicos.

Anúncios