… porque não existe qualquer grupo de recrutamento específico para esse ciclo de escolaridade. Mas isto é um detalhe “técnico” e, obviamente, uma provocação.

Em seguida, e não tomando partido por esta ou aquela solução, a partir do momento em que se deixou que o vínculo passasse a ser em relação aos “agrupamentos”, os professores perderam um local de trabalho fixo, ao contrário do que os críticos da enorme estabilidade dos docentes afirmam.

Por fim, há que assumi-lo com frontalidade, há opções a fazer e nem sempre são as melhores mas é importante que, como professores e encarregados de educação, decidamos o que queremos fazer com os professores dos “quadros de agrupamento”.

Pessoalmente acho que esta é uma solução criticável e há outras melhores, mas… acreditam que este Governo vai aceitar outras que lhes cheire a menos poupanças?

Professores do Secundário nas AEC das escolas Básicas