Podem dizer que não, que o governo é o mesmo, mais ou menos remodelado, mas a verdade é que publicamente o PR fez saber quem queria ou não queria lá dentro.

Se exceptuarmos a varridela dada por Sampaio ao Vara, este é o primeiro caso, desde Eanes I, de um governo em que o PM se limita de forma tão notória a servir de ajudante na selecção dos ministros.

Pelo que… a partir de agora será um acto de dissimulação a ausência de Cavaco Silva das reuniões do Conselho de Ministros para ver se todos se portam bem.