confirmada pelo Arlindo, aguardo pela capacidade da ressuscitada Plataforma Sindical conseguir o apoio, ou pelo menos a compreensão tácita, da Confap e CNIPE em relação à luta dos professores como componente da defesa dos interesses dos alunos e não apenas da causa específica da mobilidade docente que não diz grande coisa, por exemplo, aos professores contratados ou a quem se sente abrigado e pouco convicto.

Aguardo ainda pelos resultados da abordagem que certamente a dita Plataforma fará à ANDAEP e ANDE para as sensibilizar para a mesma causa. Sem o apoio activo da maioria dos directores (excluo os agnelos da equação) dificilmente a greve conseguirá ter impacto perante uma requisição civil. O que poderia deixar todos satisfeitos, excepto os mexilhões do costume.

Em tempo explicarei porquê, quiçá de viva voz.

Já agora… por uma vez faria sentido uma greve conjunta com a administração pública central e local. Espero que consigam perceber porquê, porque se não perceberem… é porque isto é tudo fogo de artifício e a luta não é uma guerra a sério, mas apenas um torneio floral em que ao MEC basta despachar um par de documentos para esvaziar (quase) tudo.

mas é claro que tudo isto está já a ser feito.