… e ser partilhada por ambos não a diminui, antes pelo contrário.

O Presidente da República explicou que a invocação de uma «inspiração» da Nossa Senhora de Fátima e do 13 de maio, no fecho da 7.ª avaliação da ‘troika’, deveu-se a um comentário da esposa.

«Quando, no dia 13 de maio, surgiu a notícia de que finalmente a 7.ª avaliação tinha sido mandada para trás da costas e que estava aberto o caminho para a extensão das maturidades, a minha mulher disse-me: ó meu caro – ela [Maria Cavaco Silva] trata-me de outra forma – isto é com certeza influência de Nossa Senhora de Fátima, porque hoje é dia 13. Foi essa a razão», explicou o Presidente da República em Monção.

Na terça-feira, durante uma visita oficial ao Porto, Cavaco Silva sublinhou que com o encerramento desta sétima avaliação «foi tomada uma decisão muito importante» para o futuro de Portugal. «Eu penso [no fim da sétima avaliação] como uma inspiração – como já a minha mulher disse várias vezes – da nossa Senhora de Fátima, do 13 de maio», disse, na altura.