E isso inclui o Pedro, o seu amigo Miguel e aqueles aspirantes a qualquer coisa que o vão rodeando enquanto os banqueiros o quiserem no poder.

E os que cozinham números para o FMI, etc, etc, etc.

Porque, vistos daqui, os seus assessores, consultores e outros tachistas profissionais fazem muito menos falta ao país e, pelo contrário, causam-lhe muito dano.

O senhor primeiro-ministro há-de compreender que lhe responda com igual frontalidade porque, sinceramente, a sua acção é muito mais nefasta do que a minha  eu ainda vou ensinando alguma coisinha a umas dezenas de alunos.

Passos diz que Portugal precisa “de menos professores”