Domingo, 12 de Maio, 2013


IMG_0722IMG_0723

Anúncios

Professores com horário zero colocados em centros de emprego a fazer trabalho administrativo

UE limita plano de enviar “profs” para Instituto de Emprego

… e mantendo todas as restantes asperezas.

191.775 = < 0

  1. Ex-primeiro ministro em acerto pessoal de contas (políticas).
  2. Ex-primeiro ministro em acerto pessoal de contas (financeiras).
  3. Ex-ministro a tentar demonstrar que não é tão mentecapto quando pareceu enquanto governante.
  4. Ex-ministro a demonstrar que é tão mentecapto quanto pareceu enquanto ministro.
  5. Ex-governante a comentar os erros cometidos na sua área de especialidade, antes e depois de ter sido governante.
  6. Ex-governante a comentar os erros cometidos por aqueles que ele nomeou para cargos na sua área de especialidade.
  7. Ex-governante a comentar os erros cometidos por aqueles que o nomearam para cargos na sua área da especialidade.
  8. Ex-governante a comentar os erros cometidos por aqueles que ainda não o convidaram para prestação de serviços na sua área de especialidade.
  9. Ex-governante a comentar os erros cometidos por aqueles que deixaram de o convidar para prestação de serviços na sua área de especialidade.
  10. Ex-líder partidário da oposição a comentar como se deve liderar a oposição.
  11. Ex-líder partidário da oposição a comentar como se deve liderar a situação.
  12. Ex-líder partidário da oposição a comentar outros líderes partidários da oposição.
  13. Ex-líder partidário da oposição a comentar negativamente o líder que lhe sucedeu e se tornou líder da situação.
  14. Ex-líder partidário da oposição a comentar positivamente o líder que lhe sucedeu e se tornou líder da situação.
  15. Ex-dirigente partidário a ajustar contas com quem lhe recusou novo cargo de direcção.
  16. Ex-dirigente partidário a ajustar contas com o seu próprio passado.
  17. Ex-dirigente partidário a incentivar a tomada de medidas que antes abandonou.
  18. Ex-dirigente partidário a incentivar a tomada de medidas de que nunca se lembrou.
  19. Ex-dirigente partidário a falar depois de terminar o exílio dourado em capital europeia, criticando aqueles que abandonam os seus princípios.
  20. Ex-dirigente partidário em trânsito a comentar os dirigentes instalados e outrora em trânsito.
  21. Ex-dirigente partidário em trânsito a adular os dirigentes instalados e outrora em trânsito.
  22. Actual dirigente partidário da oposição a fazer propostas que nunca fez enquanto dirigente partidário da situação.
  23. Actual dirigente partidário da oposição a criticar anteriores dirigentes partidários da oposição.
  24. Actual dirigente partidário da situação a comentar actuais dirigentes partidários da oposição.
  25. Actual dirigente partidário da situação a criticar anteriores dirigentes partidários da situação.
  26. Actual dirigente partidário da situação a criticar actuais dirigentes partidários da situação.
  27. Aspirantes a dirigentes partidários da oposição a criticar os actuais dirigentes partidários da oposição.
  28. Aspirantes a dirigentes partidários da oposição a criticar aspirantes a dirigentes partidários da situação.
  29. Ex-dirigente partidário a comentar comentadores ex-dirigentes partidários.
  30. Ex-dirigente partidário a comentar comentadores actuais dirigentes partidários.

Faltam só 20… importam-se de completar… porque há um arroz de pato que daqui a pouco estará à minha espera…

 

… uma área opinativa que usa abusivamente um derivado de logos.

Mesmo com tais limitações ousaria apresentar, com graus de estilo e afinidade muito diversos, três comentadores que poderei considerar politólogos com base em trabalho académico e não apenas por ocupação de cargos.

Os três A’s: Adelino Maltez, André Freire e António Costa Pinto, partindo do mais puro e duro para o mais diáfano.

Há mais alguns, mas prefiro as trindades.

… o aumento exponencial de comentadores políticos, ex-governantes e ex-dirigentes partidários, nas últimas décadas, em especial nesta última?

Ainda não percebi se é para lhes melhorar os rendimentos se para preparar a nova fase do pântano.

Não admite onde errou…

E volta a não referir que houve alargamento da escolaridade no período que refere.

Refere a fonte mas não se os dados são apenas do ensino público ou se engloba público e privado.

Ou seja… anda a precisar de fazer umas cadeiras de metodologia, se possível sem ser por equivalência ou fax.

« Página anteriorPágina seguinte »