… pois é mentira que sejam os salários dos funcionários que levam muitos mil milhões sem qualquer retorno como as aventuras financeiras de diversos governantes, demitidos ou no activo.

Governo dá 1º passo para rever tabelas remuneratórias da função pública

Executivo diz que quer promover um entendimento social e político em torno desta matéria.

Enquanto tiverem de ser sempre os mesmos a pagar a porcaria feita pelos amiguinhos do costume é impossível qualquer consenso que vá para além dos joguinhos de conveniência entre São Bento, Belém e o Rato.

Há que dizer com clareza que há 10 mil milhões (no mínimo) enterrados nos negócios de ex-governantes que se sucederam no poder nos últimos 25 anos e que mancham em especial PSD e PS, sendo que o que estes fazem quando se sucedem no poder é tentar encobrir-se mutuamente, atacando-se apenas de forma coreográfica.

O buraco do BPN e outros bancos privados (BPP, Banif), assim como as vertigens encobertas do BCP, os contratos catastróficos de muitas PPP e agora aquela coisa dos contratos exóticos e tóxicos de swaps são responsabilidade exclusiva de gestores públicos escolhidos e mantidos por ministros do Grande Pântano Central que ou sabiam o que se passava – e devem ser responsabilizados para além do plano político por lesarem voluntariamente o Erário Público. ou não sabiam e então são profundamente incompetentes e devem ter vergonha de aparecer na televisão a dar palpites, desde um Braga de Macedo a um Daniel Bessa, de um Pina Moura a um Eduardo Catroga, não esquecendo os Marques Mendes, Jorges Coelhos e tantos outros avençados pelos vários canais.

Ahhh… e não esqueçamos os especialistas da imprensa especializada. Sempre de dedo apontado aos mexilhões quando sabem perfeitamente que os grandes predadores são outros.