… o primeiro-ministro ter convidado e o ministro das Finanças ter mantido um punhado de secretári@s de Estado que lesaram muito mais a coisa pública do que as centenas de milhar de funcionári0s do Estado que querem despedir ou reduzir o salário para encobrir o que aqueles fizeram?

Não adianta dizer que a culpa foi do engenheiro, porque se as coisas eram incorrectas então est@s senhor@s, tão imbuídos do espírito de serviço à coisa pública, deveriam ter-se demitido e denunciado o atropelo.

E já agora, sua excelência luminosa e irradiante em finanças públicas e economia, o Presidente da República, tão provido de sumidades a assessorá-lo, não sabia de nada, nunca teve uma palavra sobre a coisa, um aviso, deu posse às pessoas em causa (como deu ao secretário franquelim do bpn) só descobriu agora e ainda não teve oportunidade de se pronunciar?