… é aquele que permite a nomeação, em tempos de Barroso, para empresas públicas, de gestores liberais e críticos do peso do Estado na economia, mas que lá permanecem em tempos do engenheiro fazendo tropelias financeiras descontroladas com o dinheiro público e são ainda recompensados com nomeações para o desgoverno do Pedro & Miguel, agora sem Miguel.

Qualquer anúncio público de processo judicial a tais ex-gestores é puro fogo de artifício, pois seria o mesmo que um par de miúdos começarem a bater em si mesmos por terem andado a brincar com os doces da tia balzaquiana.

E depois aparecem os tipos das tretas do costume, enquanto o governo se entretém em discussões intestinas, incapaz de meter na ordem aquele que alguém que andou lá por dentro designou como psicopata social, que de novo quer tirar aos pobres e remediados tudo o que possa para encobrir os desmandos dos antigos colegas.

E pelo que se percebe há quem se cale em relação a isso, incluindo o nosso MEC.