Esta peça do Económico tem números que não correspondem à realidade, misturando professores dos quadros com contratados.

Não é verdade que:

Um resultado líquido de 23.695 docentes que emagreceu o corpo docente para 137.249 professores dos quadros e que representa uma quebra de quase 15% face ao universo de mais de 160 mil que existia em 2006.

Basta consultar os dados oficiais para 2010-11 (cf. p. 75) para se perceber que, já então, existiam menos de 104.000 professores nos quadros. Agora há menos uns 3000, assim a olho.

Existirão 102.000 no máximo e não 137.000… a redução é, portanto, muito maior em termos relativos.