… exactamente ao que andam, como se posicionam no meio disto tudo e de que lado estão.

As declarações do presidente da ANDAEP, Adalmiro Botelho da Fonseca, são sintomáticas de uma das atitudes, a do abaixanço a tudo o que saia do MEC (seja qual for @ ministr@) e a do director como representante hierárquico da tutela das escolas e não o inverso.

Mesmo quando há director@s a dizer, de forma explícita, que o MEC não respeitou os mapas de vagas enviados pelas escolas.

Claro que as escolas podem funcionar com menos professores. Até quase sem professores. Basta um funcionário ir lá à sala colocar o computador e o projector para eles verem um vídeo da Khan Academy e ficam logo a resolver o teorema de Fermat no 5º ou 3º ano.

Claro que podemos, de modo informal, colocar os professores a dar na prática mais horas de aulas reais do que aquelas que o ECD determina.

Ouso mesmo dizer que as escolas poderiam funcionar sem directores. Aliás, acho que em vários casos funcionariam melhor.

Penso mesmo que poderemos falar disso, em Gaia, dentro de não muito tempo, se o convite se mantiver.