Recebido por mail:

Exemplos de 10 coisas (simples) que uma escola não pode fazer por causa do Despacho:
  1. Comprar pão ou leite se não tiver contrato de fornecimento;
  2. Contratar um autocarro para uma visita de estudo;
  3. Pelo seguro escolar pagar o transporte a um aluno que tenha partido uma perna e não possa vir de autocarro;
  4. Pagar uma carta registada se não tiver avença no correio (ou se isso estiver fora da avença);
  5. Pagar uma ambulância que não seja do 112 se um aluno se sentir mal na escola (aqui sempre se poderia alegar estado de necessidade mas o acto ´e normal de mais para termos de andar com isso…)
  6. Mandar mudar um vidro se ele se partir;
  7. Contratar um serralheiro para mudar uma fechadura;
  8. Mandar recarregar um extintor se ele se avariar;
  9. Mudar o tambor de uma fotocopiadora se não tiver contrato com fornecedor (ou se tal função ficar fora dos termos do contrato);
  10. Contratar um serviço para desentupir uma fossa se ela ficar bloqueada e a cheirar no espaço de um recreio;
Naturalmente que o estado de necessidade (e o mau cheiro) e o desejo de servir o público faz com que muitas destas coisas se continuem a fazer fora do despacho mas o que o centralista lunático (e ignorante de gestão pública prática) merecia era que todos os pedidos de autorização para estas e outras coisas se fazerem lhe começassem a pingar no gabinete. A enxurrada havia de o fazer perceber que os trabalhadores e gestores públicos lhe devem merecer mais respeito.
E agora a dúvida que assaltou o espírito da minha colega da direcção especializada em compras públicas:
Se as crianças do 1º ciclo vão fazer os exames na escola sede (6/7 kms de viagem)  o mínimo e´ que se lhes pague o transporte;
Se os exames são em Maio (inícios) e o despacho deve durar até lá ou perto quando vamos poder contratar o autocarro para as trazer aos exames?
E quem paga essa despesa que não estava prevista?
E já agora… porque não nos deixam tratar disso já e explicam como vai ser? Quem aluga muitos autocarros sabe que alugar em cima da hora agrava o custo….