• Na TSF, o Pedro Marques Lopes –  insider da construção de PPC ao poder antes de ser afastado em detrimento da facção relvas – comentava que pelos mentideros se diz que a máquina do não-ministro se iria virar contra o ainda ministro Crato.
  • Pela imprensa, nota-se com alguma facilidade a muralha d’aço, talhada em bons tempos de 70, em redor do rigor e transparência com que o dossier Relvas-Lusófona foi tratado pelo actual MEC, mesmo quando se reconhecem ali umas asperezas temporais.

Perante isto, e caso a primeira informação seja fidedigna, espero ver a forma como reagirá o círculo de amizades intelectuais e mediáticas de Nuno Crato.

De qualquer modo, num confronto desse tipo não há que hesitar, por muita que possa ser a tentação da neutralidade.