O discurso de Passos Coelho, que nunca foi muito rico no conteúdo ou na forma, vai-se tonando cada vez mais básico e rarefeito… mesmo sendo a audiência formada por jotinhas…

Debater reforma do Estado é mostrar que se prepara futuro “com pés e cabeça”