Para quem domine a língua…

Steinbrück wirft Merkel “Spardiktat” in Europa vor

Eine “Last-Minute-Kanzlerin” mit Neigung zum “Nicht-Handeln, Noch-nicht-Handeln und Lavieren”: SPD-Kanzlerkandidat Steinbrück findet scharfe Worte für das Verhalten Merkels in der Euro-Krise. Mit ihrer Politik bringe die Kanzlerin andere Länder in “Depression und Verelendung”.

Com tradução amiga:

Steinbrück acusa Merkel de “ditado de poupança” na Europa

Uma “Chanceler-Last-Minute” com tendência para “não-agir, ainda-não-agir e esquivar”: O candidato a chanceler SPD Steinbrück usa palavras contundentes para classificar comportamento de Merkel na crise do €uro. Com a sua política, a Chanceler leva outros países à “depressão e pobreza”.

O adversário, Peer Steinbrück (SPD), acusou a Chanceler Angela Merkel (CDU) de co-
-responsabilidade pelo “ditado de poupança” maléfico na Europa. Steinbrück disse no Bundestag que o governo alemão tinha sido a força motriz da redução de custos nas negociações sobre o plano de financiamento da UE “leva outros países cada vez mais para a depressão e pobreza”. O modelo é inadequado para a promoção do crescimento.

O candidato do SPD a chanceler acusa Merkel de ter procurado uma “perniciosa aliança de cortes” com o primeiro-ministro britânico David Cameron na recente cimeira da UE

“Quem no futuro quiser mais Europa precisa de parceiros que vêm o seu futuro também na Europa”, disse ele em relação à forte posição dos eurocépticos na Grã-Bretanha. Steinbrück criticou o anúncio de financiamentos adicionais contra o desemprego juvenil como “publicidade enganosa macabra”, uma vez que resultam da poupança em outros fundos.

Steinbrück desafia Merkel a manter a palavra na rápida introdução de um imposto sobre transacções financeiras. Daí também dependerá o apoio da oposição em possíveis outras medidas contra a crise. Steinbrück classificou Merkel de “Chanceler-Last-Minute” com tendência para “não-agir, ainda-não-agir e esquivar” …