Viciei-me nessa leitura, mais e mais – como é costume nos vícios. O pior era o pagamento do condomínio, que tinha que ser logo, logo.

Afundara-me definitivamente no sofá, alheio aos grunhos que chegavam, indiferente – e ainda mais – às metades cromossomicadas que saíam, aquela síncope de sinais abismava-me, puxava-me, arrepelava-me todo e  com tudo;  aquilo tomava-me, aquilo revelava-se-me! De vez!

Mas havia o condomínio das escadas e da lâmpada fundida. Todas, todas!

Sem electricidade em casa, mais de todo desempregado não havia, todo eu me arranquei do sofá para as escadas e li de fósforo e mais. Mais outro e outro.

E somente um desesperado tentaria ler, ia ser o meu suicídio adiado, todo küte e mais de vez!

E mais, novamente, sentia nunca cavalgar Tróia nem burricar Helena. (esta parte foi para demonstrar possuir na estante uns livros e mais pó)

)continua(