Sábado, 16 de Fevereiro, 2013


Depeche Mode, Heaven

Uma espécie de eugenia educacional:

Segundo o JNE, este será o último ano em que os alunos do 9º podem fazer provas a nível de escola e prosseguir estudos de nível secundário. “A partir do ano lectivo de 2013/2014, os (…) que pretendam frequentar os cursos científicos-humanísticos do ensino secundário têm de realizar, obrigatoriamente, as provas finais do 3.º ciclo a nível nacional”, avisa o MEC.

Então os alunos com NEE só podem chegar ao 9º ano?

Já sei que se disser que é profundamente inconstitucional aparecerá quem diga que não e eu estou a exagerar.

Então fiquemos assim: é imoral.

MEC recupera leitura de exame para disléxicos

Depois da polémica que enfrentou durante a época de exames do ano passado, o ministério volta atrás em várias questões do Ensino Especial, como nas provas ao nível de escola para crianças com necessidades educativas especiais.

Desculpe “meter-me” assim consigo, mas gostaria imenso de lhe falar num projecto que o Conservatório Regional de Castelo Branco, através dos seus coros Voximini e Voximix está a organizar e que me parece muito importante divulgá-lo ao máximo.

Vamos gravar um CD só de música erudita coral infantil do compositor português Sérgio Azevedo. As gravações ficam a cargo do compositor Carlos Marecos, as partituras são das edições AVA (que só edita português) e a finalização fica a cargo do MPMP (Movimento patrimonial pela música portuguesa).

Claro, que nem estou a falar das crianças, professora e pianista que também são portugueses. Enfim, um produto fora do comum (os CD’s que existem para crianças são quase todos de música tradicional ou popular) e feito apenas por portugueses. Acho que merece um destaque e o seu site é fenomenal para isso. É por uma boa causa, Por favor,  se concordar comigo, agradecíamos imenso que publicitasse.

Muito obrigada.

A professora Armanda Patrício

Gravação de um CD com música coral infantil de Sérgio Azevedo

Iniciativa da Ana Mendes da Silva:

.

Ex.mo Senhor Ministro da Educação e Ciência

No âmbito da implementação do AO, os …………… da Escola Secundária ………….. abaixo assinados, vêm por este meio chamar a atenção de V. Exa para os seguintes pontos:

  1. 1.   Neste momento, coexistem em Portugal três grafias: a pré AO1990 (cf. Manual de Português de 10ª ano, Plural, da Raiz Editores), a do AO1990 e uma a que chamaremos “mista” em que se utilizam concomitante e indistintamente as duas grafias referidas anteriormente, de acordo com “critérios” próprios (por exemplo, o jornal Correio da Manhã que, utilizando o AO desde 1 de Janeiro de 2013, continua a grafar “pára”);
  2. 2.   O facto de Angola, Moçambique e agora o Brasil não terem implementado o AO1990, situação que deixa os utilizadores do Português de Portugal praticamente isolados no contexto da CPLP;
  3. 3.    A multiplicação de testemunhos que dão conta da grave perturbação a nível da escrita e da compreensão e análise de textos redigidos com o AO 1990 (exemplos: para/pára; tomamos/tomámos):
  4. 4.   A multiplicação de tomadas de posição a rejeitar a utilização do AO1990 (CCB, SPA, entre muitos outros).

Tendo em conta o acima exposto, e por forma a NÃO prejudicar o superior interesse dos alunos nem fazer deles cobaias em experimentações de duvidoso valor científico e pedagógico, vimos requerer a suspensão da entrada obrigatória do AO nos exames nacionais  no ano lectivo de 2014/15.

Escola/Agrupamento………….,… de ………… de 2013

Gratos pela atenção dispensada, os ……………..:

Nome                                                                                              BI/CC

Muito bom…

Offshora

Do cabeça falante David Byrne:

02.05.13: Civil Disobedience

2.12.13: Civil Disobedience 2

Página seguinte »