Quarta-feira, 13 de Fevereiro, 2013


!!!, Pardon My Freedom

A entrevista do actual Provedor de Justiça na TVI24.

Se é aquilo que temos a defender os cidadãos dos abusos da governação…

 

Uns tipos a cuspirem.

Amanhã não se pode ir jantar fora, mesas pejadas de mariquices…

Governo pede proposta para alterar lei de organização do ano letivo

Reunião desta tarde juntou o secretário de Estado do Ensino Básico e Secundário e a Federação Nacional de Educação.

Em termos líquidos um retrocesso salarial mensal a rondar os 20%. Em contrapartida, dou mais aulas… e querem que ainda dê mais… o que eu gostava de conhecer é o trajecto de quem toma estas decisões e quer mais com menos, quando há muito que temos menos e fazemos mais.

Claro que existirão sempre os que acham que ainda recebem menos e que há desempregados, portanto todos deveríamos receber menos e estar desempregados.

E haverá os que gozam com o facto de profissionais qualificados receberem menos de 1300 euros ao fim de 20 ou mais anos de ensino…

Fev10Fev13

Para preenchimento online:

“Qual a opinião dos docentes do ensino regular quanto aos benefícios da integração/inclusão de alunos sobredotados no ensino regular?”

Continua por fazer uma “cartografia dos interesses” na área da Educação e muito em especial da sua privatização. Fez-se alguma coisa com o grupo GPS, sublinhando o cruzamento de influências nas áreas do PS e PSD com menção  cargos anteriores de responsáveis e consultores, mas há outros grupos na sombra, à espera da sua vez de aumentarem o seu quinhão.

Essa cartografia deveria contemplar dois eixos…

  • O da diacronia, analisando o trajecto de alguns dos mais firmes defensores do primado da eficiência da gestão privada no mercado da Educação. O que não é difícil, apesar dos habituais lapsos curriculares que acontecem, de forma conjuntural, e por necessidades de síntese.
  • O da sincronia, detectando como certas figuras estão aqui e ali ao mesmo tempo, como especialistas ou assessores ao serviço oficial de quem tem como missão defender o interesse público mas também como investigadores e consultores em grupos com interesse em obter fatias importantes da coisa pública.

A promiscuidade que já foi possível desvendar em relação às “velhas” PPP rodoviárias, poderia facilmente prevenir-se com a imposição de um certo período de nojo a quem está ansioso por “novas” PPP na área da Educação (e Saúde).

Não é que seja difícil ver, há é quem insista em não olhar ou não ver. Ou então não lhes deixam olhar.

Caros colegas de Educação Física.

Estou a frequentar o curso de formação especializada em Educação Especial no Instituto Superior de Ciências da Informação e da Administração. No âmbito da unidade curricular de Projeto, surge este trabalho de investigação com a seguinte temática: “Educação Física e Inclusão do Deficiente Mental”. Para o sucesso desta investigação, solicito a sua preciosa colaboração, preenchendo o questionário, clicando no link seguinte.

https://docs.google.com/spreadsheet/viewform?fromEmail=true&formkey=dHA4VXlxc1F0SG8tekNXR0I4ZHhJekE6MQ

Agradeço desde já a sua colaboração.

Sérgio Leite

P.S. Caso considere pertinente reenvie o questionário para colegas puderem colaborar.

Obrigado.

Quatro páginas do Público de hoje a demonstrar, com diversos testemunhos, o quão desajustado é o actual Estatuto do Aluno para prevenir de forma efectiva a indisciplina e violência nas escolas, aquele que foi feito a pensar em qualquer coisa menos no Portugal que temos.

A reter:

“não deu entrada (…) qualquer proposta de director de escola ou agrupamento com vista à elaboração de autos de notícia e instrução dos respectivos processos de contra-ordenação para aplicação de coimas.”

Para isto não existe uma única razão, mas a combinação de várias:

  • A primeira delas é o completo desconhecimento que os legisladores têm da vida quotidiana nas escolas em temos de forte crise social e económica (em boa verdade o completo desconhecimento da vida quotidiana das escolas, ponto).
  • A morosidade do processo que leva a tal medida, pois existe uma gradação em que a aplicação de coimas não é a primeira medida e todo o procedimento é complicado, implicando procedimentos que extravasam as escolas.
  • A prudência que em alguns contextos existe por parte de directores de turma e de escola/agrupamento na aplicação de tal medida por duas razões diversas: receio das consequências para a vida das famílias que já vivem abaixo do limiar da sobrevivência em diversas situações e medo físico e psicológico da intimidação que podem sofrer os responsáveis pelo encaminhamento de tal medida.

O ensino dual na Autoeuropa.
Nuno Crato:o governo não tem intenção de despedir ou de aumentar o horário dos professores.

Professores Agredidos

… fornecer temas e frases para outros se inspirarem, evitando esforço e transpiração. Até quando escrevem sobre aquilo que praticam, disfarçando.

A violência na comunidade escolar

IGF deixou de tornar públicos os relatórios das inspecções às autarquias

Documentos eram de acesso livre desde 1995. Estão em segredo desde que Relvas anunciou a integração da IGAL na Inspecção-Geral de Finanças.

É aqui que a bravata relvista-passista se detém, sem hipóteses. Os podres estão distribuídos para os dois lados da refrega e não acredito numa única investida com sucesso do miguel e do pedro contra uma autarquia laranja.

… que só mal posso esperar  que termine ao terceiro dia.

Proibição de venda de álcool a menores de 18 anos. Disparate!

Bem, se for para fazer mais uma linda legislação, está bem, é mais uma a juntar a tantas que mais não passam de letra morta, em papel morto! Agora é tudo informatizado, ficará num qualquer computador oficial. E pronto está feito, e fica tudo na mesma!

Se quisermos ao fim de semana dar uma volta à noite pelo centro de algumas das nossas cidades, podemos ver raparigas e rapazes de 14 anos a cair de bêbados agarrados a garrafas, e nada de nada acontece. Parece que a proibição de compra de álcool , é hoje, a menores de 16 anos!

Se não houver uma cabal explicação – temos tanta dificuldade em explicar o que quer que seja! –  , antes, quanto a os efeitos nocivos do álcool se forem bebidos para só se ficar  alcoolizado, e em idades demasiado jovens, bem  se pode mudar a legislação para as idades que bem entenderem que nada muda! Se não houver uma consciencialização, também,  de mães e pais para saber educar filhas e filhos, será mais uma bela lei. Unicamente! E, ainda para mais não há policia nas ruas a qualquer hora, como iria ser controlada esta linda nova lei, se já não é a actual.

Continuamos a reagir por impulsos , pelo que é mediatizado – tudo hoje é tão belamente mediatizado! – , para dizer que fazemos, e deixarmos tudo como antes estava. O nosso País desde sempre teve um grave problema com o alcoolismo. E só quem se esquece é que não se lembra! O Salazar dizia que o vinho dava de comer a um milhão de portugueses. Havia miúdos  – ainda, ainda – em 1980 nos arredores do Porto que para trabalhar bebiam às 8 da manhã, bagaço, teriam 10 anos! Onde já ia o Salazar!

E neste momento de grandes Crises, o álcool dá para esquecer! E bebe-se desmedidamente para esquecer. E depois fica-se doente , psíquica e fisicamente. Mas não é por fazer uma linda lei que tudo se evitará!!

Seria necessário fazer muito mais, ajudar quem precisa de ajuda. E antes de mais penalizar quem, hoje, vende álcool a quem tem menos de 16 anos. E se são os pais/ mães que facilitam por ajuda ou omissão que filhas e filhos se embebedem, há que castigá-los!

Não vale é fazer de conta que está tudo bem, aos 16, quando se embebedam aos 13, e passar para os 18, para se embebedarem aos 11!

E não é aumentando a taxas, impostos, para o Estado receber mais que se resolve o problema.

Nem legislar , nem aumentar preços.

Unicamente ajudar a  resolver a Crise, o que não parece ser conseguível, e como alternativa ir ajudando no terreno, quem hoje se embebeda, seja para esquecer, seja para experimentar e depois fica “agarrado”, seja por “já” ser alcoólico. E evitar que mais novos o façam! E penalizar e bem quem hoje já não cumpre a legislação existente!

 

E haver exemplos concretos de todos e de cada um mães, pais, adultos!

E quem pode e quer beber , com moderação, com idade,  bebidas alcoólicas, claro que no tempo e espaço exatos deve sempre, bem , fazê-lo!

 

Augusto Küttner de Magalhães

Fevereiro 2013

MarieConstance Maywe

Marie Constance Mayer, O Sono de Vénus e Cupido