… que fizesse o seu trabalho e se pronunciasse juridicamente sobre as medidas do Orçamento para 2013 antes que o Governo as multiplicasse para apresentar à troika?

Vamos lá tentar perceber uma coisa… se Portugal estava sem dinheiro e precisava de um empréstimo, ninguém colocou uma pistola na cabeça dos senhores troikos para o conceder pelo que, no mínimo, se espera que respeitem as leis do país que dizem ajudar, desde que este lhes pague.

O argumento de que o credor manda só funciona até certo ponto, desde que o devedor cumpra as suas obrigações. Ora, entre nós, as leis andam a ser atropeladas apenas num sentido para lhes pagar. E vai sendo tempo para que os senhores juízes dignifiquem a sua função e não a cor da nomeação. E que sejam leais à Constituição e não ao Partido que os escolheu.

Uma nova decisão política como a de 2012 deveria ser motivo para alcatrão e penas.

Anúncios