Há quem tenha perdido completamente o sentido (será que alguma vez o teve?) da decência no combate público e político com antagonistas de escassa monta.

É óbvio que não é coisa nova. Apenas foi duro saber, no concreto e com rosto, quem também foi sujeito a estas práticas de tipo subterrâneo.

Há pouco falava com um amigo que tem passado por coisas que eu também passei e ainda ocasionalmente passo às mãos de escurinhos a sério, daqueles que andam pelas sombras a lançar lama em quem tem a coragem de sair à rua com a cabeça erguida e sem ter contas a prestar a hierarquias e obediências.

A sensação de nojo, que depois se transforma em enjoo e desagua em pena por esta gente que não poupa ninguém, só poupando na honestidade, é a mesma e é bom partilhá-la fora do estreito círculo que é obrigado a suportar isto.

É verdade que só aguenta quem tem convicções e não anda a olhar para recibos de ordenado.

Anúncios