Quarta-feira, 23 de Janeiro, 2013


Bjork, Big Time Sensuality

… como se não soubesse que Paris também cansa.

Não esquecer de colocar a crónica de amanhã em prol do trânsito.

Publico como recebi:

Já dizia o poeta “…mudam-se os tempos (…) toda a vida é feita de mudança…”
O poeta foi, está a ser,  misticamente enganado – o poeta e os troikanos patrões!
Basta estar (ou não) minimamente desfocado de miopias, astigmatismos e outras visões oftalmológicas ainda não estilizadas cientificamente, para, qualquer cego, ser capaz de ler que, para os outros ouvintes oculares, alguém lhes teima em bombardear com lodo …
Na calada da noite da passagem de ano, surgiu uma prendinha aos contribuintes, disfarçada no meio dos traques dos foguetes achinesados à luz de uma edepê que já é mandarim…..migalhas não “apanháveis” com pauzinhos de bambu…
400 mil euros foi a prenda escondida! Acabava-se com a integração das direções regionais de educação na dgae e já se podia ter 400 mil euritos para abater à dívida externa! Brilhantes mentes que assim escrevem e legislam. Merecem, sem dúvida, louvor e devem registar patente de solução para este retângulo que definha!
upps…..! já se apagaram os flaxes dos foguetes da passagem de ano, a prenda (in)DGEsTE aborta em aparecer. Ao que parece, borbulham os borbulhosos.
O borbulhar das danças de cadeiras adia tudo, as (in)degestas novas estruturas esperam que as quotas partidárias distribuam as cadeiras mas não se entendem!
Antecipado o carnaval sem tolerância de ponto!
Ora é um destituído ex diretor-geral que até exige mudar de poiso e ir parar a um pombal com o traje carnavalesco de chefe de equipa multidisciplinar….ora é um boy da oposição que se acha legitimado, carnavalescamente, para outro pombal onde agora as pombas são laranjas….
Os senhores das leis andam mesmo distraídos, ou são aparvalhados, ou, não quero querer, enganaram-se nas contas! Não são 400 mil euritos que se poupam, é muito mais do que isso! Os diretores de serviço das indegestas estruturas deixam de ter direito a carro e motorista e outras mordomias.
Será que chegam a tempo de tratar de assuntos prementes da Educação?
Os alunos não merecem tamanha vilanice!

por ser parte interessada a muitos níveis, qual o algoritmo que determinou o número infalível de vagas.

 

 

O algoritmo Crato? Mas se a verdade matemática era outra…

O algoritmo Falta de Guito? Mas se não se pode sequer procurar (se escrevesse todos, era tipo-küt), quanto mais indiciar, quem no-lo roubou…

 

Cuidado, idiotas, muito cuidado e atenção à corda!

… parece carecer já de uma declaração de rectificação.

A menos que existam grupos de recrutamento que aparecem com zero quando já não existem na prática (240) e outros que somem com nada (290, 530).

Página seguinte »