… para abordara forma aterradoramente simplista como este estudo do Banco de Portugal trata das questões da Educação. Como se a diacronianão existisse e a realidade (estatistica) fosse estática.

Estamos mal, ponto ou estamos mal, mas estamos a melhorar e já estivemos muito pior?

E nem vale a pena falar daquela parte deliciosa em que se diz que melhorámos quando o dinheiro passou a ser menos como se os efeitos fossem ao mês.