Agora não tenho tempo para explicar. Apenas uma ideia que não disse lá dentro, por falta de tempo, mas depois com algumas jornalistas. Porque não aumentar as receitas próprias das escolas – sem entrar nos casamentos e baptizados propostos em tempos de MLR – com parcerias que permitam benefícios fiscais aos mecenas?

Sem que isso servisse para justificar cortes.

Não gostam tanto dos exemplos americanos?