Há exactamente 34 dias, o PCP anunciou que contemplava a hipótese de reduzir as despesas de funcionamento numa declaração com aquela linguagem encriptada do costume sobre a sua vida interna.

Desde meados da semana, insurgentes, amigos e afins redescobriram a notícia e transformaram-na no anúncio de despedimentos no PCP. O que não tem qualquer base concreta, real ou actual.

Nem sequer sou suspeito de admiração pelo funcionamento interno do PCP e desgosto imenso dos métodos abjectos de certos mafarricos vargas, mas… há limites para a desonestidade na tentativa de desviar as atenções do que é importante nos dias que correm e que está longe de ser uma ocasional declaração feita há mais de um mês por um quadro do PCP em dia de Congresso.