Quais contratos de associação, quais cheques-ensino, quais poupanças e sinergias graças e giga-agrupamentos.

A solução está no ensino doméstico, no homeschooling, que promove, para além de uma completa redução de encargos com professores, funcionários e manutenção de escolas, um ensino de proximidade, adaptado à realidade cultural e religiosa d@s alun@s, com flexibilidade curricular e de horário, entre muitas outras vantagens.

No fim de cada ciclo, @s alun@s fazem exames, se possível online com net paga pelas próprias famílias, com correcção automatizada (se houver erros, faz-se como com os professores de agora, o utente que vá testando e descobrindo os bugs) e os custos do Estado Social com a Educação.

Não se poupam 4 mil milhões, poupa-se quase tudo o que há a poupar. E reforça os valores familiares e tal.

Homeschooling