Sexta-feira, 28 de Dezembro, 2012


Texas, Inner Smile

Descoberto no Jugular… confirmado no DR.

Portaria

Em tempos de Santana havia um teorizador da má moeda (política).

VP20MAi08b

Voz Publica, 20 de Maio de 1908

Antero24

(c) Antero Valério

Las madres de Montserrat publican su calendario erótico

Las madres del calendario erótico logran los fondos para el bus escolar

A Vinci Airports que comprou a ANA, para além de aeroportos regionais em França tem a magna experiência de gerir três aeroportos internacionais. No Cambodja.

A quem acabarão por vender os portos marítimos, já agora?

Embora não deixe de ser curioso que um crítico dos interesses profissionais corporativos seja defensor dos interesses locais e regionais.

Portanto, o corte do financiamento à Casa da Música é equivalente ao atropelo dos direitos de centenas de milhar de trabalhadores, é isso?

Paulo Rangel apela a grande manifestação no Norte contra o Governo

O eurodeputado do PSD, Paulo Rangel, defendeu em entrevista ao programa Pólo Norte, do Porto Canal, que o corte no financiamento da Casa da Música e a privatização da RTP mereciam uma manifestação na Avenida dos Aliados, com a dimensão do protesto de 15 de Setembro em Lisboa.

Cumprindo, por fim, uma promessa dupla com quase dois anos.

convite

Nada como um elogio em boca própria para se detectar um avançado mental capaz de fazer uma pessoa desgostar de uma estação de rádio tão pacífica quanto a M80 pela manhã.

(resta dizer que há muita gente que diz disparates há anos e nem por isso tem direito a primeiras páginas… ou melhor… até tem…)

Negocios28Dez12

Jornal de Negócios, 28 de Dezembro de 2012

(continuo é sem saber o que fez exactamente o douto Camilo Lourenço em termos práticos na área da sua especialidade para além de vender bitaites…)

… debates parlamentares de finais do século XIX e primeiras décadas do século XX é concluir que mais do que estarmos de volta ao mesmo, vamos estando de volta ao mesmo com pior qualidade dos protagonistas e respectivas qualidades.

Podem criticar-se os José Lucianos,os Hintzes, os Alpoims, os Francos, os António Josés de Almeida, os Afonsos Costas, os Dantas Barachos, os Espregueiras, etc, etc, mas quer eles, quer os seus críticos satíricos estavam muito adiante – mesmo no papagueio – das araras actuais, raramente capazes de uma tirada desconforme aos parâmetros do tédio esperado.

Foto1122

A Parodia nº18, 16 de Maio de 1900

Passeios pelo Porto I de César Santos Silva

 

Mais um curioso livro de César Santos Silva a fazer-nos passear pelo Porto.

Como introdução diz-nos que a fisionomia que hoje o Porto ostenta , uma cidade cercada no seu crescimento pelo mar, rio e Circunvalação, data de 1898. E só se sabe  que passou a ser  2ª cidade do País pelo censo efetuado ao território nacional em 1527-1532. Até aí, Braga ocupava esse lugar.

O Passeios pelo Porto I de César Santos Silva, começa pela Sé, mais concretamente pela Sé  Catedral. Vamos (re)aprendendo a ver locais com toda a história que pelos mesmos passou até aos nossos dias e aqui é de referir uma frase de Cesar Santos Silva que podemos – devemos – ler na apresentação deste seu livro: “…não duvidem que não há presente sem passado e este tem que ser conhecido”.

De seguida passamos à Freguesia da S. Nicolau, que hoje é a mais pequena da cidade em área, começando pelo Feitoria Inglesa.

Passando à Freguesia da Vitória, que em 1981 segundo César Santos Silva tinha 6.789 habitantes e pelos Censos de 2011 estava com 2.320. Onde , como em todo o Porto, se notam as alterações de predominância das ordens religiosas  – evidentemente Católica de Roma. Falando-nos César Santos Silva também da presença de Judeus até à expulsão em 1496.

Passagem à Freguesia da Miragaia. Em 1981 com 7.108 habitantes em 2011 tinha 2.622, até à Nova Alfandega.

Segue-se Santo Ildefonso que entre 1960 e 2012 perdeu metade dos seus habitantes. Passando à de Cedofeita, começando pela Rotunda da Boavista, com promessa de  César Santos Silva de: ” nova incursão nesta Freguesia.!

Avancemos sempre de livro em  punho para Massarelos, com muito a ver lendo o que CSS nos diz, e passemos a Lordelo. Continuando para S. João da Foz. Depois Nevogilde e Aldoar aqui entrando pelo Parque da Cidade e depois freguesia do Bonfim cuja população entre 1864 e 1940 passou de 1082 a 42105 habitantes. Mas já em 2011 nos Censos eram 24.841 habitantes, com muito a ver e com justas referências a Manuel Pinto de Azevedo. Passemos de livro na mão a Campanhã começando pela Estação. Agora Paranhos , que tinha 12.707 habitantes no inicio do seculo XX e em 2011 era de 49.291.

E, Ramalde com 13.808 habitantes, em 1940 e hoje 37.411, com muito a ver e visitar. Verifica-se com o livro.

Estas visitas pelos Passeios pelo Porto I de César Santos Silva são de muito aprender ou recordar  – sempre de livro em punho –  , ficando a aguardar-se o II volume com mais Passeios aqui no Porto.

 

Augusto Küttner de Magalhães

29.12.2012

Foto1190