Quarta-feira, 26 de Dezembro, 2012


Sex Pistols, Liar

Mas é preciso deitar dinheiro!

Passos lamenta-se no Facebook

O primeiro-ministro escreveu no Facebook que “muitas famílias portuguesas não tiverem o Natal que mereciam”, sublinhando que os sacrifícios são por um “futuro melhor.”

O Passos é o escárnio da consciência!

Se o Passos é português eu quero ser espanhol!

O Passos é a vergonha da intelectualidade portuguesa!

O Passos é a meta da decadência mental!

E ainda há quem não core quando diz admirar o Passos!

E ainda há quem lhe estenda a mão!

E quem lhe lave a roupa!

E quem tenha dó do Passos!

Mais de 90% das vendas do património do Estado entre 2006 e 2011 foram feitas por ajuste directo, um procedimento que o Tribunal de Contas criticou, num relatório hoje divulgado, em que aponta também a “deficiente” fundamentação destas decisões.

Segundo a “auditoria à alienação de imóveis do Estado a Empresas Públicas”, nestes seis anos foram feitas 721 alienações, no valor de 1.423 milhões de euros, das quais 413 através de empresas públicas.

“Todos os imóveis adquiridos por empresas públicas foram alienados por ajuste directo (…) uma prática que já foi objecto de apreciação crítica do Tribunal visto que o recurso sistemático ao procedimento de ajuste directo desvirtua o regime regra legalmente previsto, pondo em causa os princípios da transparência e da concorrência que devem estar presentes nos procedimentos de contratação pública”, critica o Tribunal de Contas (TC).

Mais vale tarde e quando os parceiros saíram do poder do que nunca…

Fenprof recorre aos tribunais para vincular 12 mil professores

Uma semana depois de o ministro da Educação anunciar 600 vagas para os professores a contrato, a batalha pela vinculação passa agora para os tribunais.

Madeira retém ilegalmente 18 milhões de receitas consignadas ao Estado

Gostava que fizessem o mesmo com os pequenos contribuintes incumpridores… logo pagam quando puderem…

Professores da Bahia decidem manter greve, que completa 105 dias

Para que não digam que os alfarrábios não trazem coisas úteis, utilíssimas mesmo. Sendo que a edição do Diário Ilustrado é a de 21 de Novembro de 1906 é possível que o aparato já não esteja em stock.

DiaIlust21Nov1906

Para ler com atenção por parte de todos os que gostam destas memórias.

O clipping é da página 2 da edição de 2 de Maio de 1900 do Diário Ilustrado.

Desculpem lá, mas se ando a ler coisas vetustas, há que as partilhar.

DiaIlust1Mai1900DiaIlust1Mai1900b

O programa da parte da tarde é um mal disfarçado debate para promover o ensino dual com duas das poucas empresas que poderão dar-lhe um empurrão…

Sinto falta de um ramirílio num qualquer painel destes… ali pelo meio das experiências de sucesso.

Agit-Prop

Comunicado à Comunidade Educativa

Reordenamento/Agregação das escolas agrupadas e não agrupadas do Concelho de Braga

Considerando que, até à data, a Direção Regional de Educação do Norte não respondeu ao pedido de audiência solicitado por uma comissão representativa da comunidade escolar bracarense referente à proposta de agregação das escolas e agrupamentos de escola deste concelho;

Considerando que os diferentes serviços do Ministério da Educação e Ciência não emitiram qualquer parecer ou desenvolveram qualquer diligência, na sequência das solicitações de suspensão dos processos de agregação, entretanto encaminhados por diferentes órgãos de Administração e Gestão das Escolas e Agrupamentos de Escola;

Considerando que a Exma. Sr.ª Diretora Regional de Educação do Norte comunicou, em reunião convocada para o efeito, que, até 31 de dezembro de 2012 e por decisão unilateral da tutela, seriam publicadas em Diário da República as agregações relativas a este concelho;

O Conselho Municipal de Educação, a Confederação das Associações de Pais, os Presidentes dos Conselhos Gerais e os Diretores das escolas agrupadas e não agrupadas do concelho de Braga, em reunião no dia 21 de dezembro, na Escola secundária D. Maria II, consideraram fundamental dar a conhecer à comunidade educativa que representam as decisões tomadas:

  • Reencaminhar toda a documentação relativa a este processo ao Exmo. Sr. Ministro da Educação, com conhecimento aos diferentes serviços por si tutelados, solicitando uma audiência com caráter de urgência;
  • Promover uma conferência de imprensa, no próximo dia 27 de dezembro (quinta-feira), pelas 11 horas, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Braga;
  • Convidar toda a Comunidade Educativa (Alunos, Pais e Encarregados de Educação, Docentes, Não Docentes…) a comparecer na Praça do Município, no dia e hora acima agendados, no sentido de acompanhar e apoiar esta iniciativa.

O Presidente do Conselho Geral

O Diretor

CArtoonProfCartoonJohnDarkow

Cartoons de Bill Schorr e John Darkow

… até porque sabemos o quanto estas questões dependem da cor dos praticantes.

Nogueira Leite saiu da CGD em divergência com gestores do banco

O administrador que pediu a demissão não concordava com a gestão de José Matos, que não enfrentou as denúncias de alegados ilícitos criminais que vêm da década passada.

Até porque havia maneiras de, estando na CGD, fazer mais pelo assunto do que parece ter feito, até por todos os contactos (políticos e mediáticos) que tem.

 

12.12.12

 

Um livro de excelente, mas também dramático, fotográfico, feito por 12 fotógrafos apresentado a 12.12.12 (12. 12.2012), mostrando-nos fotograficamente um Portugal decadente em 2012.

Retratos que falam-nos por si e como tal devem ser vistos e sentidos.

Projeto que arrancou pela mão dos 12 fotógrafos e de mais umas Pessoas que lhe deram vida, sendo inicialmente apoiado por 570 subscritores para ser possível existir.

 Agora, deve ser um livro de todos, de todos mesmo…para entendermos ver – fotograficamente e com alguns oportunos comentários – o estado a que Portugal chegou- sem filtros – em 2012 , pelo retrato real.

A ver se melhoramos para não afundarmos de vez em 2013.

Aqui se seguem partes muito resumidas de comentários de Pessoas a cada fotógrafo, antes do seu trabalho, mas depois e bem o trabalho no 12.12.12.

____________________________________________________________

Introdução de António Barreto

“Os fotógrafos querem mostrar ao mundo os que sofrem, querem denunciar as situações que os fazem sofrer e querem mesmo contribuir  para que algo mude.”

“Voltemos a Portugal e aos nossos doze fotógrafos. Eles querem testemunhar , documentar, informar e, creio eu, denunciar.”

“…a impressão de que estamos a viver num país em que cresce a área da abandono”

____________________________________________________________

De Graça Morais a Lara Jacinto

“Ao olhar com atenção as fotografias de Lara Jacinto, tão carregadas de silêncios denunciadores questiono-me sobre o meu papel de Mulher e Artista”.

____________________________________________________________

De Carvalho da Silva a José Carlos Carvalho

“A  morte de atividades económicas sem alternativas uteis e a ausência de propostas de desenvolvimento que se projetem em coesão social e territorial, e em progresso humano, obrigam-nos a retroceder”.

“Mas os mais desprotegidos têm, muitas vezes excecionais expressões de dignidade humana”.

____________________________________________________________

De Paulo Barriga a Nuno Veiga

“Que ironia tão vil, esta. Na era da cegueira e da exarbação do capitalismo, as tradicionais ruas de lojas e mercadorias definham às mãos do próprio capital”.

“Hoje em dias de amizades, as relações, as partilhas apenas se alcançam no ciberespaço”.

____________________________________________________________

De Ana Cristina Pereiraa Adriano Miranda

“Na beleza terrível daquela imagem cabe todo o caminho que falta percorrer até à igualdade. Que dirá ao observá-la, naquela posse quem reduz a fotografia da pobreza à exploração do sofrimento, ao voyeurismo?”

____________________________________________________________

De Nuno Faria a Vasco Célio

“É certo que aquilo que vemos são ruinas por vir…mas num futuro que está condenado pela intolerável cegueira dos governantes a quem o povo todos os quatro anos confere um mandato pedindo em troca lealdade e capacidade de julgamento antes da decisão.”

____________________________________________________________

De Luís Afonso a José Manuel Ribeiro

“O que é mais fascinante na fotografia é o poder que ela tem de parar o tempo, captando instantâneos. “,” O que pode muito bem vir a acontecer a Portugal , tornar-se um cartaz turístico da ilusão anunciada por vendedores da banha da cobra”.

____________________________________________________________

De Ana Sá Lopes a Adriana Morais

“Eu conheci o país de Adriana nos anos 10. Éramos assim: pobres”. “Estamos devagarinho a voltar às raízes, como se a miséria fosse uma espécie de património histórico que importa preservar.”

____________________________________________________________

De Fernando Alves a Ricardo Meireles

“Estás diante de um arco sem glória no país da passagem ao salto. Terrível tempo nos foi dado viver, era daninha, cinco quinas, cinco chagas, no sono granítico, o país à venda”.

____________________________________________________________

De Frei Fernando Ventura  a Nuno Fox

“Não podemos calar um país, que chora a cantar, à espera de ver uma justiça que não seja adiada, onde as únicas equivalências, sejam as do mérito, onde as pessoas não sejam números, onde as provas capazes de culpar os culpados não desapareçam nem sejam destruídas, onde o pão seja ganho com o suor do rosto, onde ninguém vive abaixo do mínimo da dignidade humana, onde a conquista do penacho não seja o único objetivo de ninguém.”

____________________________________________________________

De Rui Goulart a José António Rodrigues

“Os Açores têm-se desenvolvido, mas a forte instabilidade dos mercados, numa espécie de crise sísmica, fez tremer a autonomia, já em fase adulta”. “…de uma Europa inacabada no olhar do tempo”.

____________________________________________________________

De Vicente Jorge Silva a Duarte Sá

“Mas a crise chegou, o dinheiro fácil evaporou-se num ápice e a grande ilusão que levara a maioria dos madeirenses a votar num supremo benfeitor desfez-se”.

“Uma ilha pobre que um ilusionista politico, pretendeu fazer passar por rica…”.

“Uma ilha finalmente perdida e parada no tempo – como numa fotografia”.

____________________________________________________________

De José Luís Peixoto a Rodrigo Cabrita

“As fotografias são a prova de que o tempo existe”.

“A memória de ontem está aqui porque como uma fotografia , posso olhá-la com mais atenção, recordá-la melhor e saber mais sobre ela…”

____________________________________________________________

ASSIM:

 

…. deve ser um livro de todos, de todos mesmo…para entendermos o estado a que Portugal chegou – sem filtros – em 2012 , pelo retrato real.

 A ver se melhoramos para não afundarmos de vez em 2013.

Augusto Küttner de Magalhães

22.12.2012

Foto1040