… não há por aí uma crönic’augusta?