Sábado, 24 de Novembro, 2012


Triggerfinger, I Follow Rivers

Ou não.

Ou poderemos ir mais longe na qualificação deste agachanço ao maior cacique nacional?

Passos Coelho no congresso do PSD Madeira evidencia “solidariedade”

Porque a solidariedade com a estrutura regional do seu partido por parte do actual PM levanta demasiadas reservas (basta atentar a estas práticas democráticas), em especial atendendo aos antecedentes de quem já teve coragem e a perdeu por completo.

… das gentes ocidentais…

Jovens preferem renunciar ao sexo a separarem-se do telemóvel

Encontra-se aqui, via no Coração da Escola, e segue exactamente a linha de argumentação que considero mais válida e exequível. Quem indeferir o pedido fica co-responsabilizado por algo que o involuntário avaliador faça de errado, após ter declarado com sinceridade a sua inadequação para a função. A menos que os egos sorem mais alto do que a coerência, acho que aqui temos matéria…

A FNE DEIXOU CAIR A MÁSCARA! – Ultrapassou o limite do aceitável e traiu os professores contratados!

O Expresso de hoje traz uma peça sobre as poupanças que o MEC terá feito com os rearranjos curriculares: 136 milhões de euros ou mais…

Isso serve para afirmar que as poupanças não se ficaram apenas a dever a cortes salariais e retirada dos subsídios, assim como para colocar Nuno Crato em alta na coluna de Altos e Baixos da semana.

Ora bem… não quero ser demancha prazeres mas gostava de acrescentar apenas dois pontos a esta história maravilhosa de eficácia poupadinha.

  • O orçamento do MEC para o Ensino Básico e Secundário em 2012 foi de mais de 5 mil milhões de euros… pelo que 136 milhões é algo inferior a 3%. Os cortes salariais e de subsídios equivaleram várias vezes mais do que isso, sendo que a reorganização curricular levou a poupanças por via da dispensa de milhares de professores contratados. aliás no orçamento do MEC para 2012 encontra-se uma redução de encargos acima dos 20%, o que bem revela a dimensão dos cortes, que em pouco se ficaram a dever a alguma verdadeira racionalização, mas apenas a amputação.
  • O MEC insiste, em declarações para a peça, em afirmar que a “revisão dos currículos foi feita com o objectivo de ‘reduzir a dispersão curricular’ e de ‘reforçar as disciplinas estruturantes’ como o Português ou as Ciências Naturais”. Ora… isto é falso, pois no 2º ciclo passou a existir mais uma disciplina com o desdobramento de EVT, apenas sendo eliminadas as ACND que não contavam para a progressão, sendo que no caso do Estudo Acompanhado as horas já eram por regra atribuídas a professores de Matemática e Português. Na prática, nenhuma disciplina ganhou horas no 2º ciclo e no 3º o fim dos desdobramentos de turmas colocou em causa esse “ganho” teórico nas Ciências. O que acabou foi a situação de par pedagógico em EVT e EA no 2º ciclo. O resto é ficção pura.

E não vale a pensa culpar as máquinas, porque elas só fazem o que lhes mandam… a menos que já tenhamos entrado no território alien ou exterminador 5.

Felizmente, eu ainda trabalho numa zona normal, onde isto não acontece.

Página seguinte »