… tem uma metodologia coincidente com a minha em diversos aspectos. Mesmo se acho que para este estudo chegavam poucas semanas de trabalho.

Excluímos despesas de investimento, designadamente da Empresa Parque Escolar e do Plano Tecnológico da Educação, tendo em conta a sua natureza quando confrontada com a finalidade deste estudo: o custo do aluno tendo em vista os contratos de associação.

Afinal, andaram certos comentadores a anunciar catástrofes e… 👿 … no fim, os autores do estudo tiveram um bom senso assinalável e não cederam a certas teorias.

Decidiu-se que a estes custos apresentados pelas escolas deviam ainda ser retirados os custos relativos a pessoal docente que sendo pago pelas escolas não têm atividade letiva, nomeadamente docentes afetos a programas de mobilidade e a programas especiais. No entanto não foi possível identificar isoladamente estes custos por unidade orgânica, tendo sido apenas possível apurar o seu valor global. No Anexo 2 encontram-se a descrição destes programas assim como o custo associado aos mesmos.
Além deste custo com a mobilidade e programas especiais, foi ainda apurado um custo relativo a pessoal não docente afeto às cozinhas e refeitórios, que também não foi possível individualizar pela contabilidade das escolas mas apenas a nível agregado para o conjunto de escolas. O valor em causa pode ser encontrado também no Anexo 2.