Quarta-feira, 14 de Novembro, 2012


Linkin Park, What I’ve Done

Pagar a dívida do d’armani e socas incendiando caixotes de lixo.

Mesmo se receio sempre os ímpetos revolucionários, porque acabam não é raro triturarem o que afirmam querer salvar.

QUE FAZER?

Governar pela força

Foi-se o xiita, é a vez do mafarrico colectivo me ameaçar. Estou cansado desta gente desocupada que defendeu e continua a defender purgas e o castigo a quem lhes foge ao controle. Ainda se tivesse idade e cara para…

Aprendi uma coisa com o tempo e a vida. Quem insiste em chamar-me mentiroso ou tem muito receio da verdade ou é porque anda muito mal informado.

Neste caso anoto ainda uma curiosa coincidência… é quando eu estou interessado em desmontar a operação em torno do estudo do custo médio por aluno que um ex-candidato a líder de um sindicato de professores me ameaça.

Apenas coincidência?

O Livresco enviou-me uma tese sobre as razões da preferência dos encarregados de educação por uma determinada instituição privada de ensino.

É um caso particular, não generalizável, mas interessante.

O estudo analisa as razões porque gostam da escola, mas só num caso se pede para serem estabelecidas comparações com o ensino público.

Eis o quadro em causa:

Não vou questionar a diferença entre muito e bastante, que são categorias pouco distintas entre si.

Apenas que só 50,8% escolheram a instituição por acharem que o ensino privado oferece melhor formação do que o público. Metade, portanto.

 

Há comentadores situacionistas muito nervosos e adjectivantes e pessoal que até desactivou a possibilidade de comentar.

Será receio que se demonstre facilmente a metodologia que não é partilhadas exactamente por aqueles que se consideram inspiradores do modelo liberal?

A verdade é que disseram que seria esta semana e até ao dia da greve não daria muito jeito em termos comunicacionais… a menos que se arranjem uns exclusivos…

 

Página seguinte »