Se, como parece ir acontecer, os professores da rede privada de ensino (com ou sem contrato de associação) vão poder concorrer à vinculação extraordinária anunciada, também os professores da rede pública poderão concorrer às vagas existentes nas escolas privadas que, dessa forma, teriam de tornar públicos os seus quadros e horários disponíveis, não ficando nada oculto ao olhar transparente do Estado Liberal?

Concedo… poderiam ser concursos locais…