Quarta-feira, 17 de Outubro, 2012


U2, Running to Stand Still

Carvalho.

Um presidente que quer decretar uma solução única para o estudo.

A notícia é de ontem, o pasmo ainda não me passou.

Os trabalhos de casa ou para casa não são o meu digestivo favorito para as aulas, mas daí a proibi-los vai a distância do desrespeito pelas regras básicas de uma democracia.

Um eduardosá, já, para cada arrondissement!

Vite!

Sim, há cada vez mais crianças com fome nas escolas, por falta de comida em casa. E nem todos os pais são descuidados, pois também eles andam perdidos…

Agora parece que já estão a viver dentro das possibilidades alocadas pelos borges a quem não saca da goldmann.

António Barreto desconhece cláusulas secretas das PPP mas admite ter criado convicção de que existem

Ele disse que sabia. Que sabia delas há anos. E agora…

Para o problema de que Nuno Crato evocou no Parlamento em relação à vinculação extraordinária de contratados que acordou com a FNE e que é preciso ter pronta até final de 2013 para salvar a face dos parceiros preferenciais do momento.

O problema passa por esta vinculação não esvaziar de sentido o concurso nacional de 2013, prejudicando os professores dos quadros que podem ver a sua mobilidade reduzida pela ocupação de vagas em virtude da dita vinculação.

Vinculando os professores contratados, como aconteceu a partir de 1993, em quadros de base geográfica, a vinculação e a entrada na carreira (hiper-congelada) acontecem, pacificam-se algumas (poucas) almas e não se torpedeia por completo o concurso nacional anunciado para 2013.

É a solução menos má, a da recuperação de algo que estava em quase completa extinção, mas que permite uma – vou usar o termo enquanto sorrio – vinculação dinâmica de uns quantos professores contratados.

Mas permanecem algumas incongruências, que os defensores da vinculação extraordinária ainda não me conseguiram explicar de forma satisfatória: a vinculação será por anos de serviço já prestado ou por necessidade concretas dos grupos disciplinares? Por escola, por zona geográfica ou por todo o país? Uma combinação destas variáveis levará, inevitavelmente, a que a vinculação extraordinária seja, na prática, ordinária, porque o concurso de 2013 se tornará um simples concurso de mobilidade interna.

Como escrevi, a solução menos má é fazer uma vinculação de âmbito geográfico e, depois, no concurso de 2013, entrar toda a gente numa dança de cadeiras, com as vagas disponíveis para mobilidade.

Se isto precisaria de ser feito desta forma, algo atabalhoada, com dois momentos de vinculação/concurso, quando os efeitos certamente se farão sentir apenas para o próximo ano lectivo e a carreira está parada-paradinha?

Claro que sim, porque Nuno Crato e João Dias da Silva precisam, antes de mais, de salvar a sua face política e respeitar o acordo particular entre o MEC e a FNE.

Se é verdade que poderão acalmar algumas centenas de contratados, não é menos verdade que serão muitos milhares os que ficarão definitivamente sem qualquer esperança.

E nem sequer falei na hipótese de isto ser uma forma mal disfarçada de fazer entrar nos quadros do MEC muitos professores oriundos de outros empregadores…

Não vou entrar nos detalhes do eventual incumprimento de obrigações por parte dos pais da criança, mesmo se acho um disparate (ou gralha) uma dívida de 20.000 euros que só se compreende se for de algo que não a alimentação.

Aquilo que convém destacar é que, no presente, a escolaridade obrigatória não é gratuita e, como se vê, as condições para ser universal estão longe de ser cumpridas. Mesmo se estivermos a falar de pré-escolar…

Pais querem garantias de que não é cortada a alimentação às crianças nas escolas

Entretanto, só à laia de demagogia, gostava de saber em quanto têm orçado as ajudas de custo para os grupos de trabalhos que, no MEC, estudam a asa da mosca e as suas ramificações cósmicas.

Por fim… há outros mecanismos para intimidar os pais a pagar, caso tenham meios, que não sacrificar a alimentação da criança e envergonhá-la perante os pares.

A Equidade e o orçamento do estado para 2013

É mais difícil fazer os cortes aos colegas… e depois os outros é que são corporativos…

Educação é afinal a área com maior corte orçamental

Investimento desce no ensino básico e cresce no superior

Ensino Básico e Secundário com corte de 6,5%

inShare

… mandar anunciar que se esteve prestes a fazer algo corajoso, mas se optou pela alternativa oposta. Ontem tinha sido o CDS a mandar saber que esteve quase-quase-quase a tomar a atitude coerente que não tomou.

Ainda me parece a forma e comunicação ideal de transmissão e debate de ideias e conhecimentos. Mesmo na sala de aula. Apesar da parafernália.

Dia da alimentação, há mais gente a comer nas cantinas escolares.

Agrupamento de escolas de Quarteira, 20 mil euros de dívidas de refeições e uma aluna sem almoço na cantina.

Um casal de professores e a austeridade.

 

não será hoje que  serei avaliado por idiotas enquanto durmo. Disse.