Sábado, 6 de Outubro, 2012


Frankie Goes To Hollywood, Relax

… será que o MEC partilha do tom e substância de certos comentários aqui deixados por uma senhora emília que anuncia estudos tipo-ramiro sobre o custo médios dos alunos no ensino público?

Já descemos assim tanto na forma de tratar a profissão mai’linda (como aqui) e, já agora, na forma de estudar coisas sérias?

E não vale a pena disfarçar… as emílias andam aqui a mando… de quem, exactamente? E o pagamento é feito com que dinheiros?

A minha República por um cavalo – que isto aqui está cheio de bestas, umas de carga, outras quadradas.

Porquê? As propinas andam caras?

(embora ache graça que o assessor de serviço aqui para o blogue insista em antecipar conclusões do estudo bem encomendado…)

Garantia estatal a ex-clientes do BPP custa mais 250 milhões de euros

A partir de amanhã logo se irão divulgando alguns dos materiais apresentados e discutidos hoje nas Caldas Rainha.

Em especial questões como a vinculação dos contratados e as armadilhas a que é necessário escapar, a deficiente forma como o MEC suporta e explicita os seus diplomas legislativos, obrigando terceiros a funcionarem como apoio técnico alternativo, a falsa autonomia decretada e os equívocos de um modelo de gestão que desde 2008 apenas acentua os seus traços mais negativos, serão passadas em revista tanto com recurso às apresentações feitas como a uma leitura pessoal sobre as posições discutidas.

A fechar a manhã, debate animado sobre a questão da vinculação, potencialidades, armadilhas e alçapões possíveis.

Agora, a questão da burocracia, procedimentos, etc, etc.

A autonomia já, mas também daqui a pouco.

Se existir uáifái pós pobres (vulgo hotspot), irei actualizando.

A lista das PPP, os concessionários, os encargos. No fundo, o buraco. Na maioria dos casos, estradas através de um país deserto, para satisfazer diminutas mas obesas clientelas. Na Visão desta semana.