Se a vinculação de professores contratados via IEFP já me levantava muitas dúvidas, o empurrão de professores com horários-zero para funcionarem como formadores parece-me uma clara armadilha e, mais grave do que isso, revela um evidente desconhecimento da legislação pelo MEC. Ou então já nada vale na ordem legislativa nacional. O que não sendo novidade, incomoda sempre um pouco.

O IEFP depende do Ministério da Economia e o ECD não se aplica. A menos que seja aceite de forma voluntária, o MEC não pode dar este empurrão. A acontecer seria, na prática, uma mobilidade especial. Aceita quem andar muito distraído.