É, ou não, verdade que, há uns tempos atrás, tudo o que se mexia clamava pela baixa da TSU como aquela coisa imprescindível para o sucesso?

Parece que o sucesso se alterou, borges à parte, sem que se explique muito bem a mudança da mudança. Ou os empresárrios, aqueles dependentes da maravilha d’armani e socas, se sentiram indispostos sem a gestão do magalhães ou o sindicalismo empresarial, atentando em que não haja memória, pelos vistos enganou os do costume…