Excepção feita à Guerra Colonial, os conflitos militares em que Portugal se envolveu tiveram quase sempre a Espanha como adversário, aliado de adversário ou observador interessado na nossa derrota.

Aliás, basta olhar para a Geografia para perceber que, a não ser a Espanha, só nos devemos preocupar com as alforrecas que dão à costa, desorientadas.

Quanto ao resto, quaisquer duas dúzias de drones arrumavam a nossa defesa dita estratégica, submarino incluído.

Por isso, é particularmente cómico que as Forças Armadas Portuguesas tenham optado por comprar as rações de combate a Espanha, com o argumento de serem mais baratas.

É que até a feijoada à transmontana é mais em conta em Badajoz.