Ex-ministro admite ‘erro’ sobre comboio da Ponte

O ex-ministro das Obras Públicas João Cravinho afirmou hoje que houve um «erro» na previsão da procura do comboio da Ponte 25 de Abril, no contrato de concessão com a Fertagus, admitindo que podia ter sido evitado.

(…)

Admitindo que «o erro podia ter sido evitado», o ex-governante socialista defendeu que tinha que «haver uma partilha do risco de tráfego» sob pena de não haver concorrentes à concessão.

«O risco de tráfego era uma espécie de Adamastor», afirmou, referindo que o risco de tráfego era o «terror dos concorrentes eventuais», explicou.

Desde a exportação para o BERD que só por distracção me convence de alguma coisa.

A confissão da rendição do interesse público aos privados é evidente. Inflaccionaram as previsões para atrair concorrentes, mas quem pagou o risco foi o Estado.