Não sei se é regresso se é apenas um novo momento crítico em algo que nunca desapareceu.

O que se segue é o excerto de um mail que recebi de uma colega que, apesar de tudo, decidiu superar o efeito paralisante do medo para protestar contra os desmandos sofridos:

Na minha escola vive-se um ambiente de medo permanente:  ele ameaça as pessoas, insulta as pessoas, favorece descaradamente os amigos, circulam fortes rumores de corrupção (alguém teve acesso indevidamente a um documento muito comprometedor); fazem-se reuniões sem pré-aviso, que duram até às 10 da noite e os professores têm que estar na escola logo de manhã cedo para as suas aulas; há professores sem hora de almoço. 
 
 Quem pode sai da escola, concorrendo ou pedindo reforma antecipada; mesmo a nível de direção o ambiente é péssimo, pois o esquema é sempre o mesmo: desrespeito absoluto pelas pessoas.