Sexta-feira, 14 de Setembro, 2012


Richard Hawley, Tonight the Streets are Ours

O felizmente apelidado “grupo dos leitões”, dando cumprimento ao ponto 3 das Cinco Medidas tomadas em tão faustoso evento consolidou a realização de um encontro aberto a professores e bloggers com o título A Blogosfera e a Discussão das Políticas Educativas em Portugal.

A ideia passa por debater, a partir de dentro das escolas, uma série de temas com alguma actualidade para a Educação neste arranque do ano lectivo (A Vinculação Extraordinária de Contratados, O Modelo Único de Gestão, A Hiper-Burocracia, A Gestão de Expectativas na Classe Docente, Autonomia e Centralismo, Gestão do Currículo).

O encontro vai realizar-se no dia 6 de Outubro, no Centro Cultural das Caldas da Rainha, com duas sessões pela manhã e duas à tarde.

As sessões serão dinamizadas por um ou dois dos organizadores e estão abertas à participação mais activa (com comunicação) ou passiva (assistência e debate posterior). Terão um moderador e 2 a 3 oradores

A inscrição deve ser feita directamente aqui com os seguintes elementos:

  • Nome, Escola de colocação, Nível de ensino, Situação profissional, Mail/Tmóvel, Blogue/url.

A inscrição deve ser feita até dia 30 de Setembro por razões logísticas de reserva do espaço mais adequado.

Para além dos organizadores está já confirmada a participação de César Israel Paulo (ANVPC), Mário Carneiro (blogue O Estado da Educação), José Alberto Rodrigues (APEVT).  Luís Braga (blogue Visto da Província e Agrupamento de Escolas de Darque) e Miguel Reis (MEP, Grupo de Protesto dos Professores Contratados e Desempregados).

Alunos sem professor numa escola do 1º ciclo em Torres Vedras

Pais fecham escola em Lousado, Famalicão, para protestar pela falta de professor.

Telhadelas, Aveiro,  apesar da providência cautelar a escola foi fechada, a população esta revoltada e fala em ilegalidade.

Escolas abrem com menos professores e auxiliares. Menos dezoito professores na escola Luís Stau Monteiro.

FENPROF faz acções de protesto pela falta de colocação de professores e reúne com Jerónimo de Sousa.

Casas devolvidas aos bancos vendidas em leilão imobiliário em Paris, com preços muito especiais e com dois secretários de estado.

O Catroga estava na TVI24 a zurzir no Passos Coelho e nas suas medidas e a dizer o que faria se ele fosse o que gostaria de ter sido.

O O PCP e Jerónimo de Sousa receberam o Mário Nogueira e concordaram com as posições da Fenprof.Isto é um bocado auto-coiso. Concordar com o que se decidiu.

O empreendedor do BPP apoia o PM, ah pois…

Passos Coelho e a desvalorização interna

(…)

É evidente que numa pura perspectiva política é uma medida altamente favorável ao Capital e um atentado aos direitos adquiridos dos trabalhadores.

Ao fazer este brutal e histórico anúncio Passos Coelho ganhou o raro estatuto de Estadista mas provavelmente perderá as próximas eleições.

Evidentemente uma coisa é atacar os níveis salariais dos assalariados públicos ainda por cima votantes sobretudo de outros partidos. Outra coisa é afectar o bolso de toda a gente, incluindo os jornalistas e comentadores televisivos.

É curioso como na opinião publicada e comentada ninguém se atreve a defender uma medida que ficará na História como uma das mais importantes da Democracia portuguesa.

Recebida através de mail da colega Helena Fraga:

RECLAMAÇÃO DA ATRIBUIÇÃO DE HORÁRIOS EM OFERTA DE ESCOLA TEIP.

  1. Em entrevista à Judite de Sousa, o ministro da educação garantiu que não irá permitir nenhuma situação de amiguismo na colocação de professores. Mais, deu a sua palavra de que nenhuma reclamação ficará sem resposta
  1. Depois de observamos algumas colocações em oferta de escola TEIP, salta à vista a existência horários atribuídos a candidatos que, de forma alguma, parecem reunir os critérios e subcritérios exigidos pelo concurso.
  1. Estranhamos como foram selecionados, em detrimento de grande número de outros candidatos, muitíssimo melhor colocados.
  1. Em conformidade com o que dissemos, resolvemos solicitar auditorias a um conjunto de situações pouco ou nada transparentes.
  1. Os dados recolhidos referem-se apenas a cerca de 50% dos horários a concurso, nos grupos 320 (Francês) e 300 (Português).
  1. Se as anomalias desta pequena amostra se generalizarem a todos os horários dos outros grupos, tememos que o “compadrio”, a “cunha” e o “amiguismo” não sejam um mero acidente, mas uma prática que está bastante enraizada.
  1. Se algumas atribuições nos parecem ser aceitáveis, se bem que discutíveis, devido a critérios estabelecidos visando encaixar no perfil do “escolhido, um número razoável revelam uma anomalia gritante. Assim, decidimos chamar a atenção, para os casos seguintes:
  1. Os candidatos assinalados a vermelho concorrem na Prioridade 2 , na lista definitiva de graduação nacional. Significa que nos dois últimos anos não lecionaram no ensino público.

Caso tenham lecionado no ensino particular, colocamos as questões:

1º Como podem satisfazer os critérios específicos das escolas;

2ºComo pode o sistema garantir a sua graduação profissional?

3ºO número de ordem da lista nacional não se sobrepõe à graduação profissional e a prioridade 1 não é superior à prioridade 2?

  1. Os candidatos assinalados a amarelo não lecionaram no ano letivo anterior . Além disso, a sua graduação profissional diz-nos que têm poucos anos de experiência de ensino. Porque não foram escolhidos candidatos com 10 e 15 anos de serviço?
  1. Além destes casos, detetamos ainda outras situações pouco claras.
  1. Em muitas escolas não tivemos e não temos acesso à listas aí ordenadas.

Aparecem nomes nas listas da escola que não constam da lista de ordenação nacional. (**171037 – No Agrupamento de Escolas Ordem de S.Tiago, a número 1 da lista dos horários do 320 -Francês: 5372534516; Maria Isabella Celestina, (G. Profissional: 30,910; C. Profissional 18,910)

Nos horários do Agrupamento de Vialonga, todos os candidatos selecionados estão bastante abaixo na lista nacional.

O candidato que está colocado como nº1, grupo 300, no A. E. Ordem de Santiago, também está na prioridade 2, e tem o nº de ordem 4560.

  1. Devido a todas estas evidências, pedimos a averiguação rigorosa de todos estes casos.

Anexo: RECLAMAÇÃO ATRIBUIÇÃO HORÁRIOS OFERTA DE ESCOLA TEIP

Não sei se é regresso se é apenas um novo momento crítico em algo que nunca desapareceu.

O que se segue é o excerto de um mail que recebi de uma colega que, apesar de tudo, decidiu superar o efeito paralisante do medo para protestar contra os desmandos sofridos:

Na minha escola vive-se um ambiente de medo permanente:  ele ameaça as pessoas, insulta as pessoas, favorece descaradamente os amigos, circulam fortes rumores de corrupção (alguém teve acesso indevidamente a um documento muito comprometedor); fazem-se reuniões sem pré-aviso, que duram até às 10 da noite e os professores têm que estar na escola logo de manhã cedo para as suas aulas; há professores sem hora de almoço. 
 
 Quem pode sai da escola, concorrendo ou pedindo reforma antecipada; mesmo a nível de direção o ambiente é péssimo, pois o esquema é sempre o mesmo: desrespeito absoluto pelas pessoas.

Há formas ainda mais activas de…

Mais um sobredotado do dia seguinte. A situação pode agravar-se, que criar gerações problemáticas há muito o sabemos fazer…

E a argumentação é do mais pedestre.

Como elemento de uma geração que passou por um conjunto de maluquices a que a actualidade se vai começando a assemelhar, posso falar na primeira pessoa das perturbações de que ele fala, podendo eu garantir que o currículo escolar era uma das minhas menores preocupações, pá!

Embora já adolescente quando levámos com o FMI em cima no fim dos anos 70 e início dos anos 80, o grande problema era existirem ruas inteiras, quarteirões completos, com salários em atraso, sem dinheiro para os pais colocarem a comida na mesa sem práticas quase comunitárias de solidariedade com o pequeno comércio. A criançada lá estava preocupada se jogava mais ou menos na escola… quer dizer… até estava… mas bastava uma  bola maltrapilha e a brincadeira estava resolvida.

Porra, que estes investigadores de aviário e gabinete, por muito certificados que sejam, já enjoam!

Educação: A atual crise pode criar uma “geração de crianças problemáticas” – Investigador

Luis Diferr

Pintur-as