Quinta-feira, 6 de Setembro, 2012


Guns’n’Roses, Patience

Com ou sem imaginação… há aqui algo que… não bate certo com declarações anteriores.

Quanto aos números, a sério, é melhor não entrarmos por aí…

‘Redução de professores é inevitável nos próximos anos’

(…)

Mas há uma redução dos contratados em relação ao ano anterior.
Este ano o sistema absorveu menos. Até ao momento. Mas nada que se pareça com aqueles números fantasiosos de que se falava, as dezenas de milhares. Chegou-se a uma etapa decisiva, mas ainda há uma série de colocações…

Há 1.714 horários por preencher.
Sim. E ainda as contratações das escolas para as necessidades transitórias que existam. Agora, se me está a perguntar se o que se está a passar é algo de inevitável, infelizmente é. Infelizmente porque é uma situação humanamente preocupante. Eu sou professor, sou de uma família de professores, todos percebemos os problemas humanos de muita gente.

Qual é a explicação para o que se está a passar? A revisão curricular? O aumento do número de alunos por turma?
O que se está a passar é o resultado de várias coisas que são mais fortes do que nós. A primeira delas é a redução da população escolar, em cerca de 200 mil alunos nos últimos anos (cerca de 14%). É uma diminuição brutal. O que temos sempre dito é que os professores do quadro são necessários e que além disso há algumas necessidades mais, mas nós faremos apenas as contratações estritamente necessárias. Nem o contribuinte português poderia entender uma coisa diferente.

Sol, 7 de Setembro de 2012

Amanhã logo passou a pente fino isto.

Poderá não haver contestação nas ruas, mas… há coisa que podem doer mais.

O presidente executivo da Sociedade Central de Cervejas (SCC), Alberto da Ponte, defendeu hoje que o sector privado deve apostar nos despedimentos como alternativa aos cortes do subsídio de Natal e de férias aplicado à função pública.

1.

A esta hora tão tardia encontro-me a preparar a “bomba”, vulgo carro com muitos milhares de km, para mais uma entrevista, desta feita perto da capital do império :)) estava com a disposição de lhe enviar umas fotos  com os meus “aposentos” para esta longa jornada que é ir a entrevistas em Agrupamentos que não publicam as listas como “manda” a lei, mas isso são outros assuntos que tão bem abordou hoje na SIC e que para aqui não são chamados.

Então é assim (lá diz o outro) desde sexta feira (tirando o fim de semana que vim a casa) encontro-me a viajar pelo país a dar entrevistas a uns senhores donos de escolas :)) e nunca fui solicitado para tantas, mais do que um qualquer PM (lol) e gostava de lhe ir enviando as fotos destas minhas férias comentando-as com humor, (a minha mulher diz que eu não devo estar bom da cabeça por me estar sempre a rir desta infâmia….mas não me parece)

Como eu haverá mais, amanhã vou estar atento ao “fenómeno” e logo verei.

2.

Boa tarde

Segue em anexo a “bomba” e os “aposentos” acabadinha de chegar de Vialonga (aqui esqueci-me da máquina  e não tirei fotos) para casa na cidade capital do vinho: Peso da Régua (pertinho de Vila Franca 🙂 )

E vim eu para casa, a real, com mulher e filhos, quando aibro o malfadado laptop,….ahhhhh… surpresa das surpresas tenho um viagem marcada para a Nuno Mergulhão em Portimão….caramba… e eu que já estava tão perto e logo me deu para vir para cima, ainda não entrei no espirito do cigano.

Irei!?!?!?!?!? …ou não??????

Bem que me esforcei a telefonar, à minha custa tá claro, e raios só me atendia …… pasme-se a senhora empregada????, que coitada, não sabia de nada.

Ainda não decidi o que fazer (talvez não vá) mas se for levo a máquina e envio fotos das férias eheheh…..só são 600Km (arredondados).

Carissímo, assim é a vida de sonho, pode acrescentar o que bem entender, pois tenho plena confiança no que escreve.

J.  Ferreira

Fonte.

Até que enfim que é punida a legislação feita quando calha com efeitos sobre quando entendem.

Independentemente da justeza dos fins, há que atender aos meios…

Não obstante os argumentos aduzidos pelo Ministério da Educação e Ciência para que aos recursos fosse atribuído efeito suspensivo, o tribunal administrativo decidiu atribuir -lhes efeito meramente devolutivo, razão por que o Ministério da Educação e Ciência se viu obrigado a admitir ao concurso nacional de acesso e ingresso no ensino superior público para a matrícula e inscrição no ano letivo de 2012 -2013 um conjunto
de candidatos com base em regras que constam de um diploma revogado.
Considerando que as decisões dos recursos interpostos, que, por sua vez, admitem novos recursos para instâncias superiores, não permitem obter uma definição jurídica estável dentro do prazo de decisão do procedimento do concurso nacional de acesso e ingresso no ensino superior
público para o próximo ano letivo;

(…)

O Ministério da Educação e Ciência decidiu proceder à abertura de vagas adicionais que permitam aos candidatos ao ensino superior a colocação imediata no par estabelecimento/curso em que efetivamente seriam colocados na ausência das referidas sentenças e, portanto, independentemente do tempo e do conteúdo das decisões dos recursos jurisdicionais, sem prejuízo, no entanto, da eventual recolocação ou não colocação dos autores das ações, no caso de não lhes vir a ser concedido vencimento de causa.

 

Que vão suspender estas autonomias? Se é para haver vinculação através da graduação profissional é mesmo bom que…

Imagem colhida no FB e com autorização da colega Cidália Luís para a reproduzir. Segue-se agora a correcção feita pela colega com outra leitura…

Deve ser por me faltar formação em Linguística Avançada, Semiótica Transversalizada e Semântica Aplicada.

Porque a proposta (de contornos meramente vagamente…) do MEC se afirma não ser de Ensino Profissional, mas Vocacional, mesmo se é para ensinar profissões e a secretária de Estado Isabel Leite diga que os alunos são muito novos e não têm maturidade para fazerem escolhas vocacionais.

Portanto… é um Ensino Vocacional destinado a a ensinar os rudimentos de uma profissão não se baseando em qualquer vocação.

Acho que despercebi, mas é porque sou picuinhas.

Confirmação à espera de recolher a informação que, alegadamente, chegou hoje às escolas. Como é habitual, tudo anda em circuito fechado.

A entrevista à secretária de Estado Isabel Leite na Visão desta semana. Parece uma secção de FAQ de uma qualquer direcção geral. Eu sei que é mesmo para ser assim, mas é um desconsolo.

Afinal a via vocacional não é profissional, embora seja mais prática e para ensinar uma profissão.

Não é um castigo, mas uma oferta para quem tem insucesso.

Coiso e tal.

Só um aviso… há por aí a tentação de afirmar que os professores dos vários níveis de ensino estão mal formados e que “há a necessidade de uma formação mais sólida dos professores nas áreas em que leccionam, para os vários níveis de ensino”.

Ou isto quer dizer que se vai dar formação aos professores para leccionarem qualquer ciclo ou então é mais um atestado de burrice ao pessoal.

Por mim, acho que muitos governantes também precisariam de mais solidez para exercerem as funções que exercem.

Erros nas colocações de professores.

Crianças do Montijo em risco de ficar sem refeições, presidente da câmara pede a revogação da Lei dos Compromissos

Farmacêuticos criam banco de troca de manuais

(c) Antero Valério