Ministério cede em horários zero, vinculações e compensações

E depois ainda chamam ingénuos aos outros…

Agora reparem na vitória…

No fim de uma reunião com o ministro Nuno Crato e dois dos seus secretários de Estado, o secretário-geral da Federação Nacional dos Professores afirmou que foi uma “vitória” conseguir que a tutela reconheça que pelo menos estas questões são “problemas para os quais vai procurar uma resposta rápida”.

Vamos lá a ver… o prazo para retirar (em prazo extraordinário) os professores da mobilidade já tinha acabado quando a Bastilha foi tomada na 5 de Outubro ou lá onde foi. E a questão de uma hipotética vinculação até já foi levantada há dias…

E depois, se nos lembrarmos das imensas vitórias deste tipo enunciadas no passado (relembro em especial as de Janeiro e Abril de 2010), é melhor ir buscar a espreguiçadeira à garagem.

Agora a parte mesmo mais divertida:

Mário Nogueira afirmou que o próprio secretário de Estado do Orçamento se mostrou “surpreendido” por o ministério da Educação entender que não tinha que pagar as compensações e afirmou que a Assembleia da República aprovou uma alteração que “não deixa dúvidas de que os professores têm direito” a elas.