Para quando a publicitação do número de professores que as direcções indicaram como estando sem componente lectiva e obrigados a concorrer a DACL?

Não adianta andarmos com números e casos impressionistas, justificando milhares atirados para o ar, que mudam a cada. Os dados já estão no MEC.

Divulguem-nos, para percebermos a dimensão do erro cometido, pois posto que a maioria até tem lugar nas escolas e foram indicados por causa da experiência feita pela DGAE, não se percebe se com a cobertura explícita e informada do ministro que, de qualquer maneira, é o primeiro responsável pelo disparate.