Álvaro Santos Pereira foi e é um erro de casting neste Governo. Ele deveria ter sido o primeiro a percebê-lo mas, infelizmente, cedeu à tentação de se aproximar do poder com a crença de ser possível fazer algo. Acredito na sinceridade dele, mas não sei bem no que acredito em relação ao que estava a pensar quem o convidou. Quanto ao seu desempenho… há coisas feitas, mesmo se discordo de algumas das suas opções, e há uma falha enorme, a qual resulta da sua profunda inabilidade em lidar com os média e os feudos instalados na nossa vida política.

Para além disso, é um ministro desprotegido, estranho à máquina laranja que o encara como intruso, visto como fraco e, portanto, uma vítima ideal para o que eu chamaria de hienas políticas.

Essa fragilidade agrada em especial a dois sectores: o dos que promovem activamente protestos como o da Covilhã e o dos que, na sombra, querem substituí-lo para levar o que de pior tem a coligação PSD/CDS para nos oferecer em matéria de interesses. Rui Rio sabe disso.

Os manifestantes têm toda a legitimidade para manifestar o seu desagrado em relação às políticas económicas e financeiras do Governo e o fazerem da forma que entendem. Só é pena que tenham optado por atacar quem sentem ser o elo mais fraco do governo e por, objectivamente, se colocarem ao serviço dos que querem fazer Álvaro Santos Pereira sair para lá colocarem pequenos (ou grandes) isaltinos (equivalentes aos gomes e varas) em seu lugar para melhor manobrarem as rédeas dos negócios que passam pelo ministério da Economia. O episódio QREN foi apenas a face mais visível da tentativa de esvaziamento dos poderes do ministro Álvaro. Feita a partir de dentro do Governo e do PSD. Agora temos a tentativa de assalto a partir de fora, visando exibir a cabeça do ministro como vitória de uma luta sem programa que não seja armar barraca para aparecer na televisão.

Pessoalmente, não gosto de hienas de nenhuma cor (vermelha, rosa ou laranja) que atacam aqueles que sentem estar mais fracos ou debilitados, para alcançar objectivos duvidosos. Assim como acho que 0 cidadão que se atirou para cima do carro do ministro escusava de mentir, porque as imagens demonstram claramente que o carro não avançou.

Que os puros do costume me ofendam como bem entenderem porque mantenho o que escrevi: há uma objectiva aliança multicolorida de hienas políticas para afastar o ministro Álvaro. E como todos os bullies de pátio de escola, acho-os cobardes.