Segundo o Gave, os alunos continuavam a evidenciar “uma preocupante falta de sentido crítico face à plausibilidade das soluções que apresentaram”.