Terça-feira, 12 de Junho, 2012


Olivia Newton-John, Physical

Por causa da discussão uns posts abaixo.

Estradas de Portugal foi tutelada por Paulo Campos desde 2005

Socialista negou tutela da EP, mas despachos mostram o contrário.

InIR: alterações do gabinete de Paulo Campos aos factos relatados ao TC

InIR denuncia ordens de Paulo Campos para omitir factos ao Tribunal de Contas

António Borges diz que nunca defendeu redução de salários

Gaspar liberta 400 milhões para a Madeira

dos 45 e dos 50 pode ser interessante, nem que seja porque desde a Suméria que o sistema sexagesimal funcionou bem.

…, hum-hum, estou aqui a encher uma ficha de auto-avaliação…

CALA-TE!

Chegado por mail:

Colegas,

É com profunda preocupação que transmitimos a seguinte informação:

Hoje, em Coimbra, numa reunião tida com as Direções das escolas, a propósito do despacho sobe a organização do ano letivo, o Diretor Geral de Educação e a adjunta do Ministro reafirmou, verbal e formalmente, a intenção do Ministério de Educação em terminar com a classificação da disciplina de Educação Física para o cálculo da média final dos alunos no ensino secundário.

Acrescentando esta medida com a já divulgada alteração das matrizes curriculares, onde a disciplina de Educação Física poderá passar, segundo o critério da Direção da Escola, de 180 minutos para 150 minutos, concretiza-se o maior «ataque» institucional dos últimos vinte anos a esta disciplina bem como a todos os pais e jovens que nos últimos anos têm investido na sua formação.

Nenhum argumento foi, é, nem poderia ser apresentado para implementação de tais medidas! Nem económica, nem científica, nem pedagógica, nem cultural.

As consequências diretas (nas atividades curriculares e extra-curriculares) e indiretas (nos Clubes, nas Federações, associações desportivas) de tais medidas são inimagináveis e incalculáveis.

Uma vez mais reiteramos que os colegas reúnam nas Escolas e elaborem uma tomada de posição fundamentada contra estas medidas e que a dirijam, por escrito, para:

Gabinete Ministro da Educação, Dr Nuno Crato

Av. 5 de Outubro, nº107
1069-018 Lisboa

A DIRECÇÃO DA APPEFIS

PS ainda esta semana procederemos ao convite de todos os colegas para um encontro a realizar em Coimbra para debatermos esta situação.
Esteja atento, divulgue e mobilize!

Segundo o Gave, os alunos continuavam a evidenciar “uma preocupante falta de sentido crítico face à plausibilidade das soluções que apresentaram”.

Director de escola da Régua desconhecia que não era licenciado

A disputa judicial pela direcção do agrupamento de escolas da Régua culminou numa sentença do Tribunal Administrativo e Fiscal (TAF) de Mirandela segundo a qual o actual director, que ao longo de 30 anos exerceu funções pedagógicas e executivas e progrediu na carreira docente como licenciado, afinal não possui aquele grau académico.

Descida significativa  a matemática e ligeira a português. Falam a directora do agrupamento de escolas de Matosinhos, um professor de matemática  e o presidente da CONFAP.

Despacho da organização escolar, segundo a FENPROF, mais de 20% de horários vão desaparecer.

Há em tudo isto algo de profundamente errado. Quando se implementa um novo programa, quando existem horas e horas de formação, de trabalho conjunto entre docentes de vários ciclos de escolaridade (em especial dos 1º e 2º), não é normal que os resultados sejam estes.

Digam o que disserem.

Embora com um peso pequeno na classificação final o domínio da Organização e Tratamento de Dados tem uma distribuição de resultados obviamente anómala.

Por outro lado, em tudo isto se demonstra, com uma amostra bem ampla (mais de 100.000 provas) que as teorias estatísticas da treta não servem sempre para enquadrar a realidade.

Porque, se assim fosse, alguém teria de explicar porque não se encontra por aqui quase nenhum cheirinho de curva de Gauss, a  conhecidíssima Curva em/de Sino que tanto serviu para explicar as quotas no caso da ADD.

A curiosidade de ter sido na boa e velha gramática (que agora se chama conhecimento explícito da língua) que foram conseguidos os melhores resultados. Só que, como é o domínio com menos peso no total da prova (15%), de pouco valeu. Maus resultados na escrita, o que já seria de esperar, mas mesmo assim abaixo do expectável.

O que me parece?

Uma aposta exagerada no conhecimento explícito da língua, devido a uma distorção induzida pela extensão dos conteúdos deste domínio no programa, e uma menor aposta no treino da escrita, uma das áreas que eu sei, por experiência própria, que é mais difícil corrigir as falhas com métodos menos tradicionais.

Já se esperava uma espécie de hecatombe, em especial em Matemática. Tudo isto torna quase impossível qualquer tentativa coerente de comparação diacrónica dos dados, devido à variação das metodologias e critérios.

Se isto é um argumento contra a existência de exames?

Não.

Deveria ser, isso sim, um argumento a favor do conhecimento das equipas responsáveis, ao longo dos anos, pela produção das provas, para percebermos a fé perfilhada.

Relatório preliminar aqui.

‘Eu fui secretário de Estado, a tutela das PPP era de dois ministros’

Cabecinha pensadora! Quando foi para se gabar das pseudo-poupanças já era ele que tinha o mérito.

… da portugal telecom, com sede fiscal na Holanda, nem um…

(c) Francisco Goulão

Não posso já com ervas nem com árvores;
Prefiro os lisos, frios mármores
     Onde nada está escrito.

Meu gosto da paisagem fez-se escuro;
Nenhures é o lugar que mais procuro
     Como homem proscrito.

Eu bem sei: A verdura! A flor! Os frutos!
Mas não posso passar de olhos enxutos,
     Meu campo verde aflito.

Porventura cegaram os meus olhos
Porque há nos silveirais flores aos molhos
     – Tanta flor me tem dito.

Mas eu bem sei que movediços lodos
Que são o chão, as lágrimas de todos,
     Meu coração contrito.

Eu não sei se amanhã será meu dia;
Recolho-me furtivo na poesia,
     Incerto o chão que habito.

Ai de mim! Ai de mim, nuvem medonha!
Os homens conheci, bebi peçonha,
     E é por isso que grito.

 

[Afonso Duarte] – Grito