… não conseguem ver o preconceito em si. E dos que, de tanto quererem defender os descamisados, revelam encará-los como incapazes de superar as suas dificuldades, condenados por uma aliança genético-cultural à pobreza e ao insucesso e à necessidade de muletas permanentes.

Embora com boas intenções, embora com base em alguns argumentos válidos, esta postura tende quase sempre a prescindir de ensinar o pescador a usar a rede e a traineira, preferindo o encosto ao subsídio comunitário.

Foi asim que fracassámos como país, nas últimas décadas.

Tudo isto a propósito da entrevista de Paulo Santiago da OCDE à Clara Viana, no Público de hoje (sem link).