Quem defende que a accountability se define apenas pela obediência a relações hierárquicas, está defender qualquer coisa próxima da ditadura.

As escolas não são empresas e, embora sejam organismos do Estado com necessárias relações de obediência às coordenadas da tutela, o seu funcionamento não pode ser regulado como se a autonomia fosse possível na base de um modelo único de gestão centralizada.

Sei que tenho uma certa tendência para recordar batalhas perdidas, mas eu espero sempre, com, irritada paciência, que o tempo demonstre os equívocos alheios.

Os pseudo-liberais que olham a escola de fora, com evidente acrimónia em relação às práticas de decisão partilhada, no fundo apenas defendem um modelo de dirigismo e servidão que está nos antípodas dos princípios explicitados pelos seus putativos gurus inspiradores.

The alarming democratic void at the heart of our school system

Where’s the accountability in the new world of academies and free schools agreeing contracts with the government?