Petição defende redução de número de alunos por turma e professor para combater insucesso e indisciplina

Agora as posições dos partidos, à época:

BE e PCP não têm dúvidas: há anos defendem a medida. Para o CDS-PP a redução do número de alunos por turma também é essencial para um ensino personalizado e, por isso, “se virmos que o Governo ou Ministério da Educação (ME) não actuam, admitimos apresentar uma iniciativa sobre a matéria”, adiantou ao JN, José Manuel Rodrigues. O PSD é o mais hesitante – o vice-presidente da bancada referiu, apenas, que o partido “ainda não tem posição fechada” quanto à petição do Movimento Escola Pública; enquanto Emídio Guerreiro, coordenador da Educação do grupo parlamentar, retorquiu, de forma evasiva, “vamos ver, vamos ver, tudo a seu tempo”.

Já sabemos, a troika e tal levaram as convicções a alguns… e no caso do CDS a Educação ficou entregue aos sóifertes, portanto… nada a esperar de coerência.

Ainda sobre a petição e sobre quem teve de dar a cara por ela em algumas ocasiões, para além do Miguel Reis, principal dinamizador da iniciativa,  recordo-me bem que os albinos nogueiras signatários nunca apareceram (puderam, não entram numa sala de aula a doer desde os tempos da maria cachucha), que na conferência de imprensa de apresentação, quer na ida à Comissão de Educação aturar os disparates de umas deputadas do PS e as encolhas dos do PSD.

About these ads